Gindum-manuel da ester

gindum já nada com jasmim, juntei

jindungo jamais em demagia, jantei

jejum, je suis gengibre en gendre,

já que je suis jacques brel, geralmente!

——

veterinária

Fui visitar o Pauinho, oh ai
Dei-lhe um bouquet de alecrim
Deu-lhe uma alergia
Espirrou todo o dia
Agora não me quer a mim

Dou-te esta flor / Atchim
Ai que fedor / Atchim
Mas o que foi, é do Alecrim?
Dou-te esta flor / Atchim
Ai que fedor / Atchim
Vai-te daqui…

Cansado e triste da vida, oh ai
Fui ao café do João
Quis um carioca
Saiu-me uma foca
Que não me larga da mão

Quero um café / Argh Argh
Isto não é / Argh Argh
Será que estou com uma grande moca?
Quero um café / Argh Argh
Isto não é / Argh Argh
Beijei a foca

Andando resignado, oh ai
Eu e minha Vitulina
Corremos p’rá feira
Pela a Amendoeira
Jantámos numa cantina

———-

olha o manuel da ester
olha o manuel da ester
que anda todo empinocado
e dança com quem quiser
não sair daqui pisado
ora bate, bate,bate, ora roda, roda, roda (bis)
e o manuel da ester,abana na dança toda (bis)
—–

Manual de estar elefantes e girafas

ai vou, pla minha terra soou

que o elefante andou

despido e nu acabou

enrola a pança

tchu tchi tchu tchun nerenei

tchu tchi tchu tchun nerenei

tchu tchi tchu tchun nerenei

enrola a pança

ficou, na escura noite apareceu

alta e vaidosa gemeu

girafa de rabo ao léu

penteia a trança

tchu tchi tchu tchun nerenei

tchu tchi tchu tchun nerenei

tchu tchi tchu tchun nerenei

enrola a pança

penteia a trança

cuspiu, de bossa ao vento o camelo

diz qu’assim tem menos pelo

mais vale carta que se-lo

mastiga a dança

tchu tchi tchu tchun nerenei

tchu tchi tchu tchun nerenei

tchu tchi tchu tchun nerenei

enrola a pança

penteia a trança

mastiga a dança

Advertisements