SUSURRO começou a ser dança em salvadorBA, onde lhe foi nomeado sururu.. e nesta travessia, que teve longa saída de uma cidade de mar-eia, foi-se chegando nesta cidade pedras-ar que sua fisicalidade foi-lhe logo mesmo sussurrada nas práticas da manhã..

fiquei tomada nesta empreitada em mesmo ouvir esta densidade de som que chega por detrás dos ouvidos, a três palmos da orelha, que a caminhada até o Largo das Olarias foi mesmo com este desenho. Não sabia para onde iria…. mas sabia que já lá estava. Você já cá estava – disse-me Sofia exatamente das duas vezes que cheguei primeira ao c.e.m, vinda do brasil.

neste agora, conto em dedos o tempo de duas semanas até o pedras17 e o meu desejo de dança não se constrange pela pequena quantidade de tempo contada dia – a – dia. É possível alargar o tempo? É possível alargar a temporalidade de um lugar? Há tempos atrás, fiquei sabendo que esta dança de hoje é mais o deixar-se mover pelo balanço que já lá está, do que uma criação advinda de um lugar ultra-super.

o sussurro em dança tem vindo a ser este cerrar os olhos levemente para alargar o som que entra.. tem sido quietude… me vi escrevendo no caderninho marrom e o casal que chegou a se rir para mim… me olhei com os olhos deles e me vi tão largadamente confortável nas duas cadeiras que habitam por lá há tempos… intimidade é um caminho sem volta, já me disseram.. sem pensar tentei ajustei minha bunda pra ficar mais, sei lá ereta?

os habitantes costumas ser: um par de cadeiras brancas, uma cadeira marrom elegantemente perneta, uma mesa redonda e uma mesa quadrada, uma churrasqueira, uma menina na janela a olhar para as partículas de ar coma língua pra fora, uma eminencia alaranjado no tronco da arvore que por hora sobe gordinha e penosamente, por hora desce afinando-se. Eles todos passeiam durante a madrugada como os brinquedos de crianças… quando chego ela manhã ou ela tarde todos mudaram de lugar.

de hoje até, ao menos, dia 04 de julho, estarei as cinco horas da tarde em presença com os sussurros do Largo das Olarias, na mouraria, e deixo o convite para quem quiser estar junto conosco, partilhando uma escuta.

clara passaro

no Largo das Olarias

 

Advertisements